Artigos
entretenimento e consumo live commerce

Entretenimento e consumo: como o live commerce mudou a experiência de compras unindo marcas, consumidores e criadores

Alessandra Gambuzzi, Esly Louisi Paiva, Victor Brotto – Abril de 2022

Se antes as pessoas iam às lojas quando não sabiam o que comprar, agora os eventos de live commerce permitem ter uma experiência análoga sem sair de casa. Além de ter acesso a demonstrações de produtos, elas podem aproveitar ofertas exclusivas, fazer perguntas respondidas na hora e efetuar compras sem esforço.

O live commerce se tornou um marco na transformação da relação do varejo com as pessoas nos últimos 80 anos. À medida que as pessoas se sentem mais à vontade para comprar online, as marcas têm aderido ao vídeo ao vivo entendendo o formato como estratégia flexível e democrática. Nesse contexto, o YouTube é referência em live commerce, combinando entretenimento e inspiração com pesquisa e compras.

Na esteira desse movimento, marcas e varejistas estão estabelecendo suas próprias iniciativas de live commerce para promover seus produtos em parceria com os influenciadores. Essa combinação de entretenimento, utilidade e autenticidade é uma poderosa ferramenta para o marketing das marcas. E, claro, os criadores de conteúdo estão no centro disso tudo.

O papel do YouTube

O YouTube é a plataforma de vídeo que as pessoas mais sentiriam falta caso ela não estivesse mais disponível.1 Os espectadores se sentem pessoalmente conectados aos criadores, e esse aspecto social gera confiança. Eles sabem que seus criadores favoritos fazem recomendações confiáveis e de maneira consistente. Não por acaso, além de assistir a vídeos e adquirir conhecimento, as pessoas associam o YouTube também ao ato de comprar.

Entretenimento e consumo: como o live commerce mudou a experiência de compras unindo marcas, consumidores e criadores
Entretenimento e consumo: como o live commerce mudou a experiência de compras unindo marcas, consumidores e criadores

Ao facilitar a conexão entre pessoas, marcas e criadores, o YouTube também vem desenvolvendo maneiras de integrar funcionalidades de shopping diretamente no conteúdo. Como parte da experiência, criadores, varejistas ou marcas podem, nas lives, selecionar produtos para aparecer em uma sobreposição na tela, permitindo que os espectadores, ao clicar, vejam os produtos e sejam direcionados para compra sem interromper a experiência de visualização.

No live commerce os espectadores também têm suas perguntas respondidas, sentindo-se fortalecidos e informados. Esse sentimento ajuda e muito a motivar os compradores na decisão de compra.

Entretenimento e consumo: como o live commerce mudou a experiência de compras unindo marcas, consumidores e criadores
Entretenimento e consumo: como o live commerce mudou a experiência de compras unindo marcas, consumidores e criadores

Multidões engajadas: o case da Americanas

No Brasil, a Americanas tem sido parceira do YouTube em diversos projetos comerciais com criadores – e foi a primeira marca da América Latina a experimentar o recurso do live shopping.

Pelo segundo ano seguido, a Americanas apostou no formato para engajar multidões e vender mais. Em 2021, a Super Live 11/11 teve participações de 10 influenciadores que comandaram o show por mais de duas horas, entretendo e anunciando ofertas imperdíveis.

Mais de 560 mil pessoas passaram pela live, registrando pico de 31 mil usuários online simultaneamente. Já as campanhas alcançaram 85 milhões de pessoas (versus 67 milhões em comparação com 2020).2

Outra iniciativa pioneira de live commerce no Brasil, o Show da Black Friday da Americanas chegou à sua terceira edição, sendo realizada pelo YouTube em parceria com o estúdio de conteúdo Play9.

A Americanas S.A. foi pioneira nas frentes de advertising e entretenimento no Brasil com a participação no Show da Black Friday desde 2019, e o lançamento de seu projeto proprietário de live commerce, a Americanas ao Vivo, durante a pandemia, em 2020. Lançado em junho de 2020, a plataforma inovadora de live commerce já realizou mais de 310 lives, com apresentação de milhares de produtos ao vivo aos clientes e possibilidade de compra imediata pelo app da Americanas.

Investimos e apostamos no modelo de live commerce, que mistura a venda com o entretenimento, uma grande tendência no mercado.

– Vitor Monte, Head de Marketing da Americanas

A marca, cotista única e exclusiva do projeto, teve Felipe Neto como apresentador da edição de 2021. Ao todo, o show contou com 18 influenciadores, foi transmitido em 18 canais e perfis e alcançou pelo terceiro ano seguido mais de 260 mil pessoas simultâneas, ultrapassando a incrível marca de mais de 1.5 milhão de pessoas assistindo à live em todos os anos.3

Raquel Santachiara, gerente de live commerce da Americanas, diz que a marca sempre buscou o que há de mais inovador no mercado para seus consumidores. “Desde 2019, com o Show da Black Friday, investimos e apostamos no modelo de live commerce, que mistura a venda com o entretenimento, e hoje se mostra uma grande tendência no mercado. No esquenta para a Black Friday, por exemplo, a marca realizou a Super Live 11/11 com vários influenciadores, e os resultados fizeram a diferença. A Americanas registrou um aumento de 140% na quantidade de itens vendidos, em comparação com o mesmo horário do ano passado.”

Felipe Neto e a loja de camisetas

Além dos projetos com grandes varejistas, creators como Felipe Neto têm utilizado as soluções de live shopping para divulgar e vender seus produtos. Ele aproveitou as novas funcionalidades do formato para lançar cinco novos designs de sua marca de camisetas, sendo um exclusivo para os telespectadores que estavam assistindo à live.

Felipe interagiu com os membros pelo chat ao vivo, apresentando as novas estampas e respondendo dúvidas sobre frete, promoção e descontos. Também aproveitou para jogar Among Us com seus fãs.

A transmissão ao vivo atingiu o pico de 83 mil espectadores simultâneos e gerou mais de 110 mil visitas ao site da sua loja. Felipe vendeu mais de 4,3 mil produtos e a estampa exclusiva para o evento representou mais de 60% dos pedidos. A receita total gerada foi de aproximadamente 280 mil reais.4

Conexão com a audiência = resultados em números

89% dos espectadores afirmam que os criadores do YouTube dão recomendações em que podem confiar.5 Não à toa, o live commerce tem se estabelecido como uma forma eficiente de se comunicar com uma ampla audiência.

Pensando nisso, o YouTube vem desenvolvendo, a cada dia, maneiras de integrar a plataforma ainda mais ao ato de comprar, testando novos recursos para melhor atender às necessidades dos usuários. Tudo para facilitar, mais e mais, a conexão entre eles e as marcas.

Fontes

1 Google/Talkshoppe, US, estudo Why Video, n= 2003 pessoas entre 18-64 anos, Genpop video users, junho 2020.

2, 3 e 4 Dados internos do Google, YouTube e Agências, 2022.

5 Google/Talkshoppe, Why Video study, Brazil, n=2,052 pessoas entre 18-64 anos, Genpop video users, agosto 2020.